Abelhas Sem Ferrão

Calma calma que não é de comer! Estamos falando aqui das maravilhosas abelhinhas, mais especificamente as espécies que não tem ferrão, ou melhor, das espécies de abelhas que, com o passar dos anos se adaptaram evolutivamente e assim perderam seus ferrões. Essas espécies são chamadas também de espécies nativas ou indígenas, tendo em vista sua relação específica com os biomas de cada região, assim como os povos nativos.
    Nossa relação com as abelhas é muito antiga, desde sempre os povos tradicionais manejavam e mantinham as colmeias de abelhas nativas na floresta, se beneficiando do seu mel, cera,  própolis e pólen. Existe um deus Maia bem antigo chamado Ah-Mucen-Kab que é considerado o deus do mel e é uma das referências mais antigas da relação das culturas tradicionais com as abelhas nativas.


Entendi, mas, pra que servem as abelhas mesmo?

Sem dúvida essa é uma das questões que mais as pessoas perguntam, o que a abelha faz? Qual sua importância? Só pra começo de conversa, elas simplesmente existem, e por si só já basta essa conversa. Mas quando temos uma visão mais utilitarista dessa espécie, podemos falar um pouco dos serviços ecossistêmicos que elas prestam. Mas o que é isso? Serviços ecossistêmicos são como uma “função na natureza”. Toda espécie tem uma função, e é como se fossem um parafuso de um avião, se esse parafuso cai, o avião não funciona direito e pode cair também! 

Pode não parecer mas, sem a atividade de polinização das abelhinhas não teríamos comida, esse é o maior serviço ecossistêmico que elas prestam pra nós humanos, sem dúvidas! Outro ponto importante dessa pergunta é a visão utilitarista que temos das abelhas hoje em dia, por exemplo, quando você pensa em abelha, quais são as primeiras coisas que vem a sua cabeça?

A grande maioria das pessoas responderia picada e mel, porém o que elas não sabem é que as nossas abelhas brasileiras, em sua grande maioria, se defendem de outra forma pois perderam o ferrão e produzem mel em quantidades menores, levando em conta a quantidade produzida por cada colmeia. Seus meles, diferente do mel das abelhas com ferrão (Apis melífera), passam por um processo de transformação mais química do que física, de forma a produzir um mel com mais propriedades medicinais e mais rico, levando em consideração o seu uso medicinal humano.

O sumiço das Abelhas sem ferrão 

Existem mais de 600 tipo de espécies de abelhas sem ferrão no mundo e mais de 300 são naturais aqui do Brasil, isso nos mostra como a diversidade de biomas no nosso país contribuiu para a evolução adaptativa de tantas espécies de ASF. 

A relação específica com os biomas daqui traz também uma dependência muito alta deles, isso quer dizer que com o desmatamento desenfreado e o avanço do uso de agroquímicos tóxicos utilizados em larga escala na produção agrícola, boa parte das condições que seriam naturais daquele local deixam de existir e com elas as espécies daquele bioma, sobretudo as mais sensíveis.

O uso desses inseticidas, herbicidas e outros biocidas no solo também é particularmente um super problema pois as ASF são espécies menos resistentes e basta uma visita numa flor que tenha sido borrifada com esses produtos, que toda a colméia será contaminada e provavelmente sucumbirá.

A melhor forma de ajudar e preservar nossas amigas abelhinhas é conhecendo um pouco mais sobre elas e entendendo que nosso estilo de vida, as decisões que tomamos, fazem bastante diferença no contexto geral para elas. Outra forma é se tornando guardião de uma colméia, sim é possível cuidar de uma caixinha de abelha sem ferão mesmo na cidade! Mas conversamos mais sobre isso num próximo post.

Dentro da nossa proposta, de ajudar as pessoas em uma transição para um vida mais sustentável, realizamos atividades de educação ambiental, permacultura e agroecologia para todas as idades oferecendo a oportunidade de estabelecer contato com as abelhinhas, conversar um pouco sobre e mostrar como é possível e prazeroso cuidar de um enxame, mesmo em ambiente urbano. Saibam que escrevo-lhes essas palavras bastante feliz, principalmente por poder propagar, ou melhor, polinizar um pouco mais do conhecimento que adquiri a respeito das nossas queridas Abelhas Nativas.

Se você quer saber um pouco mais, seguem nossas dicas:

Curso Online com Gerson Pinheiro

Livros

Instagramers

https://instagram.com/sosabelhassemferrao

https://instagram.com/meliponiculturaoficial

https://instagram.com/beekeep.life

https://instagram.com/casf_caixas

Minhocário, maravilha ou maldição?

Nossa Live Sobre Compostagem – Não esquece da parte 2!

Peraí, deixo adivinhar… Está tendo problemas com seu minhocário? Fique tranquilo ou tranquila, vamos abordar aqui alguns pontos e procedimentos básicos que com certeza irão te ajudar nessa caminhada.

Saiba que 100% das pessoas que se propõe a iniciar nesse mundo acabam passando por algum perrengue, uma hora ou outra, portanto fique tranquilo que, se você persistir, tudo dará certo!

Cara, do que você tá falando? O que é esse negócio de compostagem?

O processo de compostagem nada mais é do que uma dinâmica que acontece naturalmente no chão da floresta. A fruta cai, as folhas caem, algum animal morre por ali, mais folhas caem e assim vai se formando um processo de ciclagem de nutrientes. Essa   dinâmica “digere” todo resíduo orgânico que está ali, disponibilizando todos os nutrientes presentes neles de uma forma mais “pronta” para ser absorvida pelas plantas. Olhar com carinho para o equilíbrio entre carbono (folhas secas) e nitrogênio (qualquer resíduo orgânico que vai ser digerido) é a receita para um sistema perfeito.

A humanidade utiliza a compostagem há muito tempo, os chineses dominaram a técnica há mais de 5 mil anos e esse conhecimento ancestral vem sendo cultivado também pelos índios que ainda sobraram aqui pelo Brasil. Através da observação da natureza, estes povos identificaram o padrão de ciclagem de nutrientes do solo na floresta, então aplicaram a mesma dinâmica observada da natureza em suas lavouras e deu super certo! Esse foi um superpoder danado de bão, demos um salto na produção agrícola a partir do aprendizado a respeito da compostagem. Conjuntamente com a grande pulo na questão da compostagem, a produção agrícola em si se revolucionou com a disseminação da Agroecologia, mas esse tema fica para um próximo post.

Dito isso, é importante entender as diversas escalas de se praticar compostagem, é possível fazer compostagem no campo, com várias toneladas de composto manejado ou no seu apartamento de 50 m² com os mesmos princípios o que muda é a escala e portanto a melhor técnica a ser utilizada.

Se for compostar o resíduo da cantina de uma escola de ensino infantil, que se alimenta majoritariamente de comidas cozidas, todos os dias da semana, melhor utilizar um processo termofílico. Já, se for compostar seu resíduo orgânico da sua casa,  melhor utilizar um processo de vermicompostagem, como o minhocário.

Quando falamos sobre minhocário, queremos dizer que está rolando um processo de compostagem porém, com ajuda das nossas amigas minhocas. Esse processo acontece dentro de recipientes portanto, fica fácil trazer para nossa casa. Mas não se engane, você está levando um processo natural para dentro da sua casa portanto, se apareceu um bicho rosa chamuscante que brilha no escuro em noites de quinta feira não se desespere! É de se esperar que eventualmente apareça algum bichinho diferente por ai, muitos deles servem de aviso para nós que o sistema carece de algum tipo de manejo. 

Segundo o Panorama de resíduos sólidos no Brasil  2018/19, geramos, cada um de nós, pouco mais de 1kg de resíduos por dia. Desse volume metade corresponde a resíduos orgânicos o que, por mês, contando 30 dias no mês, nos traz um total de 15 kg de resíduos orgânicos que cada um de nós gera.

Quando desenvolvo atividades com crianças, sobre nosso impacto na natureza, sempre trago a questão da responsabilidade sobre nossos atos. Quando penso nesse número da estrofe acima não esqueço desse mantra, seu resíduo sua responsa! Por isso não abro mão de tratar meu próprio resíduo orgânico!

Aderir a uma prática nova e tão transformadora como é a compostagem tem seus desafios, mas vale tudo muito a pena quando percebemos que todo nosso resíduo orgânico está virando composto de ótima qualidade ou quando vamos tirar o lixo e percebemos que diminuiu pela metade o volume. No fim o esforço vale super a pena quando percebemos que é simples.


Benefícios

Tratar nosso próprio resíduo orgânico em casa, além de preservar o Meio Ambiente e evitar sobrecarga dos aterros sanitários e por consequência prolongação de sua vida útil,  diminui a taxa de emissão de gases de efeito estufa, faz bem pra gente, desestressando e até auxiliando pessoas com depressão, acredita? Acho que o grande ponto de conexão entre o conhecimento ancestral e o ponto que estamos atualmente a é a capacidade  de identificar nosso superpoder de gerar adubo a partir do nosso lixo! Mesmo se você não tiver o hábito de plantar, pode doar seu composto para o vizinho, sua mãe ou avô que com certeza ficarão muito felizes com esse adubo de excelente qualidade!

 O Que eu preciso?

Para quem está começando, segue uma live que fiz onde explico como fazer um minhocário com materiais recicláveis, esse pode ser seu primeiro passo, caso ainda não tenha o seu.

Já tem seu minhocário maravilindo e belo? Então bora começar!

Como usar?

Para usá-lo é simples, coloque os restos de resíduos orgânicos no primeiro recipiente de cima (1) e cubra os com matéria seca (folhas secas ou serragem) por completo, a proporção ideal é de 1 parte de resíduo  para cada 1 parte de matéria seca (1×1). Quanto mais picado estiver o seu resíduo quando for pra composteira, mais rápido o composto fica pronto e menor a probabilidade de dar errado o processo. Assim que seu primeiro recipiente encher, passe-o para baixo de forma que ele fique no meio dos dois outros recipientes, suba o que estava embaixo (2) para parte superior da composteira e continue colocando seus resíduos pois as minhocas acham o caminho para o recipiente de cima.

Resumindo: coloque a matriz de minhocas no tambor 1, enche ele com resíduos orgânicos e depois cubra com matéria seca. Quando estiver cheio, é só trocar ele de lugar com o 2 até o 1 virar humus.

Cuidados com meu minhocário

Agora que já sabemos sobre o minhocário e aprendemos a fazer um, o grande segredo é aprender a manejá-lo e o pulo do gato para isso é prezar por nossas amigas minhocas. Atente-se aos seguintes pontos:

  1. As minhocas são sensíveis a variação de temperatura, pH e umidade, já que são 75% água, então cuidado pra não exagerar na matéria seca e nos cítricos;
  2. Sempre pique o resíduo antes de ir para o minhocário;
  3. Não leve para dentro do seu minhocário excesso de cítricos (só um pouquinho não tem problema, mas fique de olho), carnes, derivados de leite, excesso de condimentos ou excesso de comidas cozidas;
  4. Coloque o resíduo picado ocupando um dos cantos, cubra totalmente com a matéria seca e respeite a proporção de 1×1 mencionada anteriormente;
  5. Não deixe seu minhocário exposto a sol ou a chuva diretamente
  6. Para o caso de infestação de larvinhas, coloque cinza de fogueira (pode ser achadas em pizzarias que tem forno a lenha) para controlar o pH e aumente um pouco a matéria seca.

Por último mas não menos importante

O minhocário, como todos processos novos exige um pouco de dedicação e tolerância, principalmente no começo do processo, é muito comum que as pessoas desistam por que não deu certo, então já sabe,  persista! Quando conseguir deixar o sistema redondo e começar a colher seus adubos ou ver as sementinhas germinando dentro da composteira verá a beleza do processo e valerá a pena toda a dedicação, boa compostagem pra vocês e até a próxima!

Precisa de ajuda de forma individualizada? 

Clique aqui para ter acesso a uma consultoria de 1 hora com o Cauã


Tu quer comprar uma composteira? A gente ainda não fabrica ainda, mas achamos um kit de uma composteira a um preço acessível aqui: 

Kit de Composteira Doméstica GRANDE: https://amzn.to/2YgYNJJ

Kit de Composteira Doméstica MEDIA: https://amzn.to/31h7Vjx

Oggi Eco-Liner Forro de balde de compostagem (Livre de transgênicos): https://amzn.to/32ad0sY   

Quer fazer um curso online? 

Estamos formatando nosso curso online onde você vai aprender a construir uma composteira do zero, além de saber resolver todos problemas mais comuns e até mesmo alguns problemas mais complexos do seu minhocário. Se você tem interesse em adquirir futuramente nosso curso, pedimos que nos envie um email no endereço: contato@matoalto.eco.br.

Para crianças:

A Fuga das Minhocas, de Raquel Ribeiro

E-book A Fuga das Minhocas, de Raquel Ribeiro

Lucas e a Composteira Mágica, de Chris Buarque

Curso online sobre Pancs com Valdelly Kinupp

Aqui estão alguns livros pra tu se inspirar:

Como Montar e Cuidar de um Minhocário Caseiro, de Gislaine Honorato

[INGLÊS] Composting for Dummies

Uma vida Sem lixo, Guia de Cristal Muniz

Minhas Plantas, de Carol Costa

Para quem trabalha em escolas, selecionamos uma dica especial: 

Resíduos sólidos e educação ambiental: a compostagem como ferramenta de gestão ambiental dentro das escolas, de Fernanda Moreira: https://amzn.to/3l2flPk

Compostagem Doméstica

Você sabia que os resíduos orgânicos correspondem a mais da metade do resíduo que geramos diariamente dentro de nossas casas? Este material acaba sendo enviado para aterros sanitários e sua decomposição neste ambiente tem como produto um biogás altamente tóxico, inflamável e impactante no equilíbrio do Efeito Estufa. Além disso, a vida útil dos aterros sanitários acaba diminuindo muito, o que demanda mais e mais espaços para se construir novos aterros. Imagina o potencial do resíduo orgânico que é gerado em nossas casas? As cascas, polpas, borras e filtros de café, quantos quilos de composto de ótima qualidade estamos mandando para os aterros sanitários todos os dias? E se todo este composto fosse convertido em temperos, frutas, legumes e verduras? Vamos deixar as cidades mais verdes! Como proposta, este curso discute um pouco da gestão diária dos resíduos domiciliares, os recicláveis secos, rejeitos e recicláveis orgânicos, apresentando a vermicompostagem como solução para tratamento de parte da parcela orgânica e consequente diminuição substancial do volume enviado aos aterros.

Conteúdo do Curso

Parte 1 – Teórica

  • Contextualização;
  • Gerindo meu resíduo doméstico;
  • O que pode ser reciclado?
  • Para onde vai meu resíduo?
  • Classificação dos resíduos;
  • Vermicompostagem;

Parte 2 – Prática

  • Construção do minhocário doméstico;
  • Como utilizar meu minhocário?
  • Principais problemas, como resolvê-los;
  • Compostagem termofílica

Entre em contato com a gente para saber como estão funcionando os cursos.

Nosso resíduo orgânico de cada dia

Você sabia que os resíduos orgânicos correspondem a mais da metade do resíduo que geramos diariamente dentro de nossas casas? Segundo o Ministério do Meio Ambiente (2008) a parcela orgânica dos resíduos sólidos urbanos corresponde a 51,4% com geração de 1,1kg de resíduo dia por habitante. Sendo assim, geramos individualmente aproximadamente 0,561kg de resíduos orgânicos POR DIA!

Este material acaba sendo enviado para aterros sanitários e sua decomposição neste ambiente tem como produto um biogás altamente tóxico, inflamável e impactante no equilíbrio do Efeito Estufa. Além disso, a vida útil dos aterros sanitários acaba diminuindo muito, o que demanda mais e mais espaços para se construir novos aterros.

Imagina aproveitar todo o potencial do resíduo orgânico que é gerado em nossas casas? As cascas, polpas, borras e filtros de café, quantos quilos de composto de ótima qualidade estamos mandando para os aterros sanitários todos os dias?

E se todo este composto fosse convertido em temperos, frutas, legumes e verduras?

 

 

 

Este processo é mais simples do que parece, a compostagem é uma maneira de disponibilizar os macro e micro nutrientes presentes no nosso resíduo de uma forma que as plantas consigam absorver, além disso nada mais é do que a reprodução de um processo que acontece naturalmente no chão da floresta.Isso é muito importante ser considerado quando se pensa em começar a compostar seu resíduo orgânico.

Sendo uma dinâmica que acontece naturalmente no chão da floresta, é normal que no decorrer de aprendizado de como manejar o sistema apareçam outros agentes decompositores, detritívoros ou predadores daqueles que se encontram dentro da sua composteira.

Dito isso, é importante salientar que existem diferentes técnicas de compostagem e cada uma tem suas características que limitam sua utilização dependendo do local, do tipo do resíduo e do seu volume.

No próximo post seguirei falando dos tipos de compostagens e suas características.

Obrigado pela atenção e até a próxima!

 

 


Cauã Messinetti

Pai, formado em Gestão Ambiental pela USP-Leste, Educador ambiental apaixonado por desenvolver atividades com crianças, Permacultor formado pelo IPEMA  especializado em Compostagem, trabalhou na Morada da Floresta como suporte das vermicomposteiras e coordenando o projeto Escolas Mais Orgânicas, também adora trabalhar com Abelhas sem Ferrão. Idealizador e colaborador do Coletivo Urbano e Rural de Reforma Alimentar, fez cursos de construção de cisternas construindo algumas por aí, bioconstrução, sobre a cultura do Bambu e sobre Melipolicultura. Adora dedicar tempo a elaborar piadas (somente as sem graça).

 

Oficina de composteiras domésticas com baldes: construção, utilização e manejo.

Oficina de composteiras domésticas com baldes: construção utilização e manejo

Nesta oficina abordaremos o potencial do resíduo orgânico que geramos em nossas casas e como reciclá-lo através de uma composteira doméstica. Na atividade aprenderemos a montar a composteria, como funciona o processo de vermicompostagem com minhocas californianas, suas particularidades e sua utilização.

A duração média é de 2 horas a depender da quantidade de dúvidas.

Construiremos 2 composteiras que serão sorteadas entre os participantes.

Local: Rua Guaicurus, 260 – Vila Leão
Data: 3 de Fevereiro, Sábado.
Duração: 2 horas – das 14:00 às 16:00
Contribuição: R$ 20,00
Inscrições: https://cau7.typeform.com/to/ksIxib

As contribuições podem ser previamente ou no dia, pedimos apenas que os participantes façam a inscrição no link.

Consumo Consciente: Autocuidado

Ei, que bom que chegaram até aqui! Estamos promovendo encontros para discutir a cidadania consciente através do consumo. No encontro passado falamos sobre os impactos ambientais de nossa alimentação e aprendemos a fazer comidas mais saudáveis e acessíveis, além de uma roda de conversa mara, seguida de um plantio biodinâmico.
Agora é a vez de falarmos de nossos corpitchos!!! Sim, esses que nos movem e nos trazem tantas alegrias. Vamos aprender um pouco mais sobre eles e também entenderemos um pouco sobre essa nossa mania de limpeza e higiene, rs. Iremos discutir nossa responsabilidade sobre o que consumimos e colocamos em nós mesmos e vamos aprender formas mais naturais de autocuidado e autonomia.
 
Programação:
❗A maioria da programação é gratuita, porém as coletivas contam com contribuição voluntária para continuar ajudando outras mulheres. 😉
 
23 de Setembro | Sábado
10:00 – Oficina Popular de Saúde e Autonomia: Saúde da Mulher e Medicina Tradicional Chinesa. Coletiva Caminho Natural
14:00 – Oficina Fique Amiga Dela. Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde 
❗Contribuição Sustentável: R$ 30,00
❗15 vagas
20:00 – Circulo de Mulheres especial Primavera facilitado por Bárbara Marques Nunes*
 
24 de Setembro | Domingo
9:00. – Yoga com as crianças com Livia Fontao
10:00 – Fitocosméticos: Cuidados naturais diários por Maribruxa
15:00 – Bruxarias da Crias da Terra

Alimentação: Estamos procurando pessoas que têm interesse em vender suas comidinhas pra gente durante os 2 dias de evento. Interessados mandem mensagem inbox ou por e-mail: maribarroso@matoalto.eco.br.

Crianças: Por favor, tragam seus filhos! Temos bastante espaço pra brincadeiras e uma praça aqui na frente. Só não temos uma pessoa que possa ficar responsável por cuidar das crianças, se alguém puder se disponibilizar para ficar com as crianças enquanto os pais e mães participam das atividades, mandem inbox ou e-mail. Podemos também nos organizar e revezar os cuidados entre pais e mães. 

Resíduo Zero: Vamos contribuir para a realização de um evento “resíduo zero”?! Mas o que é isso ó Mãe Terra?! É simples, teremos descarte adequado de todos resíduos recicláveis secos, resíduos recicláveis orgânicos, rejeitos e bitucas, por isso fiquem atentos. Também pedimos para que cada um traga seu recipiente de bebida ou alimentação. Ainda não fechamos cardápio, assim que possível avisaremos para que todos possam se organizar.

Consumo Consciente: Alimentação

Finalmente chegou o dia de abrir as portas da nossa casa e dos nossos corações para recebê-los! Estamos começando uma jornada com algumas atividades no nosso lar e nada como uma inauguração com um lindo plantio familiar e uma boa conversa sobre alimentação medicinal.

Preparamos uma bateria de atividades gratuitas pensando no exercício diário do Consumo Consciente. Além das atividades, estará rolando paralelamente uma banquinha do Terra Viva Agroecologia com vários alimentos de origem agroecológica de alguns assentamentos daqui da região de Sorocaba e também um cantinho para as cheirosas bruxarias da Maribruxa.

O evento é gratuito e iremos oferecer almoço nos dias de open house, será uma pexinxa, saudável e saboroso. Em breve divulgaremos mais info, mas já adiantamos que a Nina irá preparar algo sensacional e depois vai falar um poquinho sobre alimentação medicinal pra gente.

Programação
9h ☞ Yoga – Livia Fontao
10h ☞ Introdução a Cervejaria Artesanal – Fernanda Rossi
12h ☞ Almoço
13h ☞ Bate Papo sobre Grupos de Consumo de Orgânicos – Caio RennóMelissa Branco
15h ☞ Agricultura Biodinâmica – Carlos Eduardo
16h ☞ Plantio

Programação 02/07/2017
10h ☞ Workshop Alimentação Medicinal – Nina
15h ☞ Vegetarianismo Ambiental – Ravi Orsini
17h ☞ Confraternização de encerramento

Lembrando que as crianças são muito bem vindas, a ideia é plantar em família, poder sentir um pouco de energia do coletivo e trocar com a mãe terra.

Na confraternização venderemos brejas e sucos, disponibilizaremos os instrumentos (2 violões, 1 cavaquinho, 2 pandeiros, chocalhos, gaita, bongô, etc), além daqueles que vocês levarem, pra rolar um som orgânico também!

*O evento é gratuito mas estaremos aceitando contribuições voluntárias para ajudar nos custos dos palestrantes.
*Tragam canecas e sacolas (not plastic! rs) para a feira!
*Para as pessoas de Sampa, há espaço para algumas aqui, conversem conosco para fazermos arranjos dos lugares para dormir.

CineGine

Você já parou para pensar como o autocuidado e o meio ambiente se auto-influenciam? Os dois têm
tudo a ver. O CineGine Ambiental desse mês tem como objetivo discutir o documentário feito pelas gatas/bruxas chilenas do Movimiento Insurecto por la Autonomía de una mismo, que discute de forma explícita sobre a autonomia do corpo feminino passando por questões polêmicas como o aborto e autocuidado natural. De início será feito um lanchinho (colaborativo) e em seguida assistiremos à um documentário curto, debateremos sobre o tema passando por questões sobre consumo e autonomia: até que ponto acreditamos sermos realmente responsáveis pelo o que colocamos em nosso corpo? Como podemos contribuir para um planeta mais saudável cuidando do nosso próprio corpo? E aquelas mulheres que se sentirão à vontade para tal poderão fazer a visualização do colo do próprio útero.
O evento é destinado exclusivamente à mulheres

✽ ✽ ✽ Informações Importantes ✽ ✽ ✽

♀Contribuição voluntária;
♀Mulheres que fazem trampos artesanais sintam se mais que a vontade pra trazer os trampos e faremos uma banquinha para vendas e trocas.
♀Os espéculos estarão disponíveis para venda para aquelas que quiserem, assim como outros artigos de cuidados e auto observação.
❥Tragam lanches ♥

Feira Beco do Inferno

Depois do grande sucesso da edição do carnaval, nós voltamos revigoradas para a 6ª edição da Feira Beco Inferno.

Com o propósito de resgatar um pouco da nossa história, e aproximar o público da crescente cena artística local, foi que surgiu a maior feira de arte independente da região.

Assim, seguimos sempre bimestralmente, graças ao ímpeto e solidariedade d@s artístas, que vem – até debaixo de chuva – mostrar, vender e trocar as suas produções visuais, artísticas, têxteis e agora também gastronômicas!

Com isso, preparamos uma edição muito especial, que contará exclusivamente com o protagonismo das mulheres nas apresentações, com performances, shows, discotecagem e muita poesia, que dará a ambiência perfeita para o clima da feira.

A feira acontece no coração da cidade, na Rua Leite Penteado – históricamente conhecida como Beco do Inferno – que se localiza no centro, e como dissemos antes, estamos comemorando nosso primeiro ano!

Por isso, contamos com a sua presença para prestigiar e fortalecer esse movimento que é uma ação coletiva ❤

APRESENTAÇÕES:
13:30 MARGEM – Clara Nolasco & Renato Arteiro
14:30 Bruna Padilha
15:30 Discotecagem Viviane Quaintrelle
16:00 Ananda
16:30 Roda de Conversa “Da Majestade à Resistência – As Vicissitudes da trajetória da Mulher Negra no Brasil (facilitadora: Carla Jacques)
17:00 Tamara Mc
18:00 Rosana Kali com ”Macio, Lento e Perigoso”
18:30 Rap Plus Size
19:00 Adriana Techera

Bazar no Quintal

Bazar No Quintal – Edição dia das Mães
Moda Arte Gastronomia

Um evento para reunir e oferecer muitas coisas bacanas, para você rever seu conceito de comprar e presentear
Presentes diferentes, criativos, alternativas conscientes em tempos de adversidades, sem deixar de presentear quem se AMA, Sua MÂE !!! Sim toda mãe quer sim ser lembrada e comemorada!!!

O nosso Bazar no Quintal quer unir e fortaler o pequeno empreendedor em um espaço de economia colaborativa.
#bazarnoquintal #presentescriativos #presentesconscientes
#diasdasmaes2017 #compredopequeno

Quintal aberto para todos, uma tarde toda para as familias curtirem um sábado Brincando no Quintal.
*Entrada Gratuita

E nossos bons parceiros das comidas:

Venha almoçar conosco, vai ter Macarrão na Chapa. , uma delícia!

E venha conhecer El Rocoto Culinária Peruana estreiando no nosso bazar com diferentes pratos tipicos.

Expositores:

Sobremesas preparadas com carinho pela Delícias da Dani , com Bolos, Cupcakes, Brigadeiros Goumet e muito mais.

La Venta Brechó, o brechó mais fofo da cidade com suas peças lindas e baratissímas!

Bicho Grillo, moda hippie e alternativa pra quem é livre no mundo!

Crias da Terra Arte-natureza para corpo e alma. Sabonetes 100% vegetais, desodorantes, banhos de ervas, óleos terapêuticos, amuletos de intenção, chás especiais

Viridário ateliê de mini jardins – Os Mini Jardins e Terrários do Viridário são produzidos com muito amor e criados para dar asas a imaginação! É sempre bom ter uma plantinha em casa, alegra, purifica e dá sempre um charminho no ambiente

Mimos de Casa produtos de decoração e presentes criativos e estilosos, não tem mãe que resista sem se derreter

Toda Casinha lojinha de coisas bacanas e guloseimas.
E Rabiscos do Duh com suas xicaras lindas e super descoladas para presentear

Ayka Origami estreia no nosso bazar, mas não na nossa casa, pois quem já veio aqui viu muitos tsurus e flores de origami

Leonardo Soares Oreia, o artista apresenta seu manto com peças artesanais e exclusivas, usando o Macramê juntamente com recursos provindos da Natureza, como pedras naturais, sementes, metal, madeira, entre outros materiais. São diversas artes como colares, testeiras, braceletes, tornozeleiras, filtros dos sonhos, e mandalas.

Ateliê Maria Polaca volta para o nosso Bazar com suas delicadas bonecas artesanais. Coisas apaixonantes!

E teremos a Livia Fontao Educadora e Instrutora de Yoga
Yoga significa união, e vamos aproveiar essa data para apronfundarainda mais nossos laços de amor, harmonia e paz com nossas mães.
Vivências de Yoga:
15:00 Horas – Mães e Filhos (Crianças)
16:00 Horas – Mães e Filhos (Adultos)